CLASSE LASER STANDARD
Actualização: 11-Jan-2012


                 

Em 1969 o dono de uma cadeia canadiana de armazéns de revenda pretendeu lançar uma gama de material para campismo. Encarregou Ian Bruce do projecto, que poderia incluir um barco suficientemente pequeno para poder ser transportado em cima de um carro permitindo, desse modo, o uso simultâneo de uma caravana.

Ian Bruce, que era velejador da classe International 14, contactou o seu adversário e amigo Bruce Kirby, arquitecto naval. A ideia era construir um barco leve, rápido, em princípio só para uma pessoa mas no qual duas pessoas mais pequenas pudessem velejar com facilidade. Deveria ser de construção simples e barata, acessível ao grande público. 

Enquanto falavam pelo telefone Bruce foi rabiscando um esboço num papel (*) e calculou a área vélica. O esquema então desenhado, que já inclui alguns pormenores de construção, é impressionantemente semelhante ao Laser que todos conhecemos.

Durante o ano de 1970 foi construído o primeiro protótipo. Hans Fogh, campeão mundial de Flying Dutchman, desenhou a vela. Em Outubro o barco fez a sua estreia, participando na "America's Teacup Regatta", onde vendedores e estaleiros costumavam promover os seus produtos. Chamando-se na altura Weekender (*), dado o fim a que se destinava, o protótipo apresentava na vela a sigla TGIF (Thank God It's Friday). A estreia foi um sucesso, tendo o Weekender, tripulado por Hans Fogh, ficado em segundo lugar da sua classe na primeira regata e, depois de uns ajustes na vela (que tinha sido desenhada sem ver o mastro) ganhou a regata seguinte. 

Procurou-se, então, outro nome, mais sonante, para o projecto. Num encontro com universitários foi sugerida a escolha de um nome atractivo para a juventude, que significasse algo moderno. Foi assim que surgiu a ideia de lhe chamar Laser (*), tendo sido adoptado para logotipo o símbolo correspondente.

No Boat Show de Nova Iorque, em Janeiro de 1971, só em quatro dias foram vendidos 140 barcos. Em 1973 já se tinham vendido cerca de quinze mil unidades, em 2001 mais de 180.000!

Em 1974 o Laser foi reconhecido como Classe  Internacional pela IYRU (International Yacht Racing Union, anterior nome da ISAF – International Sailing Federation) e em 1992 foi adoptado como classe olímpica para os jogos de 1996. Surgiram, entretanto, o Laser Radial e o Laser 4.7, utilizando o mesmo casco mas com velas menores, mais fáceis para velejadores mais leves.

Em Portugal o Laser teve a sua expansão a partir de 1973, ano em que foi escolhido como barco de um tripulante para o Campeonato do Mundo da Juventude, que se realizou em Tróia.

  • Comprimento: 4,20 m

  • Boca: 1,39 m

  • Peso: 59 Kg

  • Área Vélica: 7,06 m2

  • Tripulantes: 1

  • Origem: CAN

  • Concepção: Bruce Kirby & Ian Bruce

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DA CLASSE LASER (APCL)
Rua Óscar da Silva 1896 1º Esquerdo

4450-755 Leça da Palmeira

Telefone 910510102/ 965216468

Fax 309945431

E-mail apclaser@apclaser.org